Cicatrizes abertas e um ano desaparecido.

Já deve fazer cerca de um ano que eu não posto no meu blog, daí me pego sempre pensando que eu escrevi, escrevi, pensei, dediquei tempo e me pergunto constantemente  o porque de ter deixado de escrever nesse espaço que eu tanto gosto, não tenho uma boa resposta, nem tenho uma desculpa, apenas abandonei, e o pior e que eu realmente sei, abandonei pessoas que liam, que opinavam, mas isso é o menos importante nesse momento, pois estou de volta a vós escrever, com novas idéias e um novo gás para escrever e fazer acontecer novamente.

Deixando um pouco as explicações de lado, vamos ao que realmente importa. Hoje estou aqui para fazer uma resenha de um livro que eu ganhei há algum tempo atrás, e que eu gostaria de compartilhar um pouco com vocês.

Essa é a minha primeira resenha então, relevem um pouco caso a escrita, caso alguma reclamação só mandar uma mensagem =D

Cicatrizes – David Small

Cicatrizes1

Aviso esse material pode conter spoiller! Vou tentar me controlar para não fazer muitos, mas alguns são muito importantes. Então vamos à resenha…

 Já leu um livro que te fez pensar na vida? Já todos já lemos, todos já vimos alguns valores que são passados nos livros, sejam eles morais, sociais ou éticos. Mas e quando esses valores são passados através da vida de uma pessoa e você acaba se colocando no lugar dela? Como se comportar? Como não acabar se emocionando, não por uma tristeza, mas com a ideia de viver aquele momento, saber que aquilo poderia acontecer com você? Foi o que David Small fez em seu livro biográfico e quadrinizado intitulado Cicatrizes.

David relata como conseguiu burlar os problemas familiares que teve os problemas de saúde e conseguiu vencer o câncer. A narrativa de um ponto de vista infantil é o ponto forte, mostrando bem entre um quadrinho e outro o que vivenciava uma criança criada com a rigidez de uma família americana. O quadrinho é feito de forma linear, começo meio e fim, não precisando encher linguiça, simples e direto.

O ponto alto do quadrinho é o modo como David te leva a conhecer sua vida, deixando que você não seja um mero leitor e viva aquele momento com ele, deixando aflito sobre um problema de saúde que ele desenvolve com 11 anos e que só consegue operar aos 14, mostrando que aquilo não era importante para ter sua atenção. A esperança que tem ao ver sua mãe no quarto do hospital perguntando o que ele deseja e pensa que aquele momento é um momento único onde ele poderia ter um desfecho feliz, mas o mesmo se lembra de quando todos os seus preciosos tesouros foram jogados no lixo e torna o encontro um tanto difícil. A decisão da operação que surge porque não teriam como fugir da operação e então resolvem fazer, e descobrir que teria que fazer duas cirurgias, sem entender o porquê daquele procedimento, mas mesmo assim ainda o aceita de forma calma e de bem.

images

O difícil acordar e não conseguir falar, a descoberta de uma enorme cicatriz no lado do pescoço, o achar de um bilhete que lhe revelaria que possuiu câncer e o turbilhão de emoções que passam pela sua cabeça naquele momento, tudo isso com apenas 14 anos. As sessões de psiquiatria que o levavam para um mundo de descobertas onde ele conseguia melhor entender a sua vida, por mais difícil que seja. Com alguns meses depois ter que encarar que seu câncer foi causado pelo próprio pai, que aplicava doses maiores de raios-x do que devia, afim de curar uma sinusite. Revelações de sua mãe, morte na família, e por ai vai até descobrir tudo o que estava acontecendo realmente dentro de sua família.

A narrativa despretensiosa e limpa de David Small explora cada sentimento que o leitor possa passar, fazendo com que o mesmo tenha sido engolido pelo livro, causando certa angustia ao final do livro, forçando a pensar como seria a sua reação a cada descoberta dessas que poderiam mudar a sua vida?

Cada pessoa tem uma maneira de agir, seja ela de forma áspera, de forma calma, gritando ou até mesmo xingando, é normal do ser humano buscar uma forma de poder expelir o que ele sente através de algo. Entretanto é muito mais complexo pensar em como todas essas questões morais e familiares sem ler o livro, apenas por uma resenha, mas se coloque na seguinte passagem do livro “Seu pai o convida para um café, depois uma volta no caís, quando ele se vira e fala: – X você teve câncer por minha causa, eu causei isso!”, como você reagiria a uma revelação dessas?

 42504201101

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: